Escolas no caminho da integração entre o digital e a educação

Instituições de ensino precisam estar preparadas para lidar com a tecnologia não como um diferencial, mas como uma exigência que será comum entre os nativos digitais

Compartilhe
, / 0

As escolas são um berço das futuras gerações. Pode parecer clichê, mas é inquestionável como o mundo tem se transformado de uma maneira muita rápida e, consequentemente, influenciado o comportamento de gerações com o avanço da tecnologia e dos meios digitais. As crianças e os adolescentes que hoje estão nas escolas, dentro de alguns anos, vão estar no mercado de trabalho, que com certeza irá exigir profissionais com características pessoais e profissionais muito distintas das que são cobradas e conhecidas hoje.

As escolas precisam investir nesta formação necessária para seus alunos que, cada vez mais, será integrada ao mundo digital. Mas como prover ferramentas que atendam às demandas desse público? A instituição pode oferecer, por exemplo, aulas de programação, games, livros digitais, enfim, ir muito além da tradicional aula de informática.

Leia: SophiA vence duas categorias do Prêmio Top Educação 2019

educação e leitura digital

Foto: divulgação

Logo, teremos pais e filhos nativos digitais e será essencial que as escolas já tenham absorvido a tecnologia como algo natural em suas rotinas. Essa será uma demanda não só de alunos, mas de seus responsáveis e, claro, do mercado. É preciso estar preparado.

A Prima, empresa que desenvolve a linha de softwares SophiA e Philos, também atua no Brasil comercializando a plataforma de origem espanhola Odilo. Uma biblioteca digital com mais de dois milhões de obras e 140 milhões de usuários em todo o mundo. Philos é o software de gestão ideal para bibliotecas escolares e pode ser integrado à Odilo para enriquecer ações de alfabetização e incentivo à leitura nas escolas, como em clubes de leitura.

Essas são duas ferramentas que irão ajudar as escolas nessa importante escalada em direção à tecnologia. Veja abaixo depoimentos de escolas que já usam essas soluções de integração digital:

 “Existe um público muito propenso a ler em formato digital. Com a Odilo, encontramos um parceiro com o qual trabalhamos no dia a dia para fazer crescer a nossa biblioteca digital”,

Florencia García, diretora da DIBAM (Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas do Chile).

“O Philos é bem completo, facilitando muito o uso no dia a dia. Achávamos que a catalogação levaria mais de 4 meses, porém, com a ferramenta de cadastramento pelo ISBN do Philos, em 3 meses já havíamos terminado. Ao utilizar este método, todos os dados como capa do livro, entre outras informações, são puxados automaticamente. O processo todo leva menos de 3 minutos, o que nas vias tradicionais seria 10. Os alunos adoraram o Terminal Web, pois conseguem pesquisar facilmente o acervo, efetuar reservas e receber os livros por malote, sem precisar vir até a biblioteca para isso”,

Paula Ferreira, bibliotecária do ICBEU.

educação digital

Foto: divulgação

Leia também:

Tecnologia a favor da educação

Apenas 8% dos alunos saem de cursos técnicos, contra 40% da média dos países da OCDE

21 anos de Enem: conheça a história do maior exame educacional do país

Comentários

comentários

replica rolex

nudecelebvideo.net asexbox.com javset.net

PASSWORD RESET

LOG IN