Feminismo: uma nova primavera

‘Feminismo para os 99% – Um manifesto’, em sua edição brasileira, conta com prefácio da deputada Talíria Petrone e da deputada indígena Joênia Wapichana

Compartilhe
, / 0

Bastaria a intensa reação conservadora ao feminismo nos últimos anos para atestar que o tema está na pauta incontornável de qualquer sociedade preocupada com a igualdade de direitos entre homens e mulheres. Mexer com privilégios, como se sabe, atrai represálias dos privilegiados.

Quem estiver disposto a entrar em sintonia com o que de mais agudo se discute nesse campo pode recorrer a Feminismo para os 99% – Um manifesto (Boitempo, 128 págs.), que representa uma ação global lançada no mais recente Dia Internacional da Mulher, em 8 de março.

Leia também:

Obra da primeira mulher brasileira a publicar romance é destaque entre editoras

“Escrevem sobre os indígenas desde 1500, só que muitos não têm noção do que é um povo indígena”

Primavera feminista

Escrito pela italiana Cinzia Arruzza, pela palestina Tithi Bhattacharya e pela americana Nancy Fraser, o livro recebeu, em sua edição brasileira, prefácio escrito pela deputada federal Talíria Petrone (PSOL-RJ) e texto de orelha assinado pela advogada indígena e também deputada federal Joênia Wapichana (Rede-RR).

Talíria é quem fala em “uma nova primavera feminista”. “Nosso feminismo só será mesmo urgente se for por inteiro palpável e real para a maioria das mulheres brasileiras e do mundo. Se for popular e verdadeiramente emancipador.” O manifesto, diz ela, “é um chamado para um feminismo vivo e pela vida, pela dignidade, pela felicidade da maioria das mulheres”.

livro feminismo

Leia também:

Seriado Merlí relaciona ciências humanas e sociais como introdução à vida

Saiba o contexto em que a Declaração Universal dos Direitos Humanos foi construída e entenda sua importância

Comentários

comentários

nudecelebvideo.net asexbox.com javset.net

PASSWORD RESET

LOG IN