Exposição gratuita apresenta os Yanomami pelo olhar de Claudia Andujar

Fotojornalista suíça é reconhecida em vários cantos do mundo como defensora dos povos indígenas

Compartilhe
, / 0

 

O Instituto Moreira Salles de São Paulo exibe a exposição gratuita Claudia Andujar – A luta Yanomami até 7 de abril de 2019.

Dessa forma, em dois andares, a mostra é uma retrospectiva da história da fotojornalista e ativista Claudia Andujar com os Yanomami, povo indígena hoje localizado na Amazônia, Roraima e Venezuela e que há anos luta para manter a floresta e seus costumes vivos.

São cerca de 300 fotografias, instalação audiovisual no escuro com pufes para se sentir dentro da floresta, além de livros e documentos que compõem a retrospectiva de Claudia com esse povo ameaçado de sobrevivência.

Claudia Andujar Yanomami

Yanomami por Claudia Andujar

Parceira de luta

Antes de mais nada, é importante ressaltar que Andujar nasceu na Suíça em 1931 e veio ao Brasil pela primeira vez em 1955, tempo depois de sua família paterna ser assassinada nos centros de concentrações para judeus.

Assim sendo, o primeiro contato com os Yanomami ocorreu em 1971, em uma matéria para a revista Realidade. Contudo, foi proibida pela Ditadura brasileira de voltar à aldeia, ainda assim, não parou a luta e foi uma das articuladoras para a criação da ONG hoje chamada de Comissão Pró-Yanomami.

Assim, seu trabalho está interligado com a luta pela demarcação das terras indígenas Yanomami e em denúncias visuais de doenças que mataram centenas de indígenas, quando no Regime Militar, em síntese, trabalhadores abriram rodovias na Amazônia.

Exposição Claudia Andujar

Yanomami por Claudia Andujar

Informações

Instituto Moreira Salles – IMS Paulista

Galerias 2 e 3

Avenida Paulista, 2424, São Paulo/SP

Terças a domingos (exceto quintas), das 10h às 20h. Às quintas (exceto feriados), das 10h às 22h.

Pajés Yanomami

Yanomami por Claudia Andujar

Mulher Yanomami Claudia Andujar

Yanomami por Claudia Andujar

Leia também:

Escritor indígena é reconhecido em prêmio de literatura infantojuvenil

Professora e professor brasileiros concorrem ao Nobel da Educação

30 anos do assassinato de Chico Mendes

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN