Uma conversa sobre ciências

Livro debate questões polêmicas e atuais sobre alfabetização científica

Compartilhe
, / 965 0


iStockphoto


Partindo da proposta da coleção Pontos e contrapontos, da Summus Editorial, o livro Ensino de ciências se organiza como um grande batepapo entre os autores Nélio Bizzo, professor titular da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, e Attico Chassot, professor de diferentes universidades no Rio Grande do Sul. Cada um apresenta seu ponto de vista sobre o ensino da disciplina para então entrar em um debate, sendo uma parte dele mediada por Valéria Amorim Arantes, organizadora do material.


A primeira parte é dedicada aos ensaios individuais. Bizzo ressalta o intercâmbio entre os programas de ensino e as esferas da história da ciência que seriam úteis para os educadores em seus cursos. Entre os pontos altos desses trechos podemos destacar a distinção, realizada pelo autor, dos diferentes significados da história da ciência para os educadores e cientistas, bem como a defesa do uso dessa perspectiva histórica nos cursos de formação de professores.
#R#
Chassot, por sua vez, nos apresenta um texto dialogado, composto por uma série de trocas de mensagens (inspiradas em mensagens do seu próprio blog) entre uma estudante e um professor sobre a questão da alfabetização científica para a cidadania. Uma reflexão importantíssima que surge para os leitores é a constatação de que aqueles que têm acesso à ciência, por meio de uma alfabetização científica eficiente, passam também a contar com instrumentos para transformar o mundo, melhorando suas condições.


O debate de ideias entre os autores começa já na segunda parte da obra. Para deleite dos leitores, Bizzo e Chassot tecem comentários sobre temas instigantes e provocativos, como a origem das espécies e dos seres humanos; o papel desempenhado pela Igreja na história da ciência; as relações existentes entre os saberes populares e científicos e a formação de professores de ciência no Brasil.


Os diálogos prosseguem na terceira e última parte do livro, dessa vez mediados por Valéria A. Arantes. Aqui o foco são as problemáticas atuais, como a questão dos currículos repletos de conteúdos das mais diversas áreas e a profundidade dos cursos de ensino médio no Brasil.


Acompanhando a linha de pensamento dos autores, percebemos a incoerência do discurso dos parâmetros apresentados pelos órgãos governamentais em relação às exigências das grandes universidades brasileiras e também à matriz utilizada nas provas do Enem. Por esses e outros importantes apontamentos, a leitura dessa obra é recomendada, tendo em vista seu alto valor para a reflexão dos educadores preocupados com um ensino que privilegie a alfabetização científica para a cidadania.


Carla Marques Alvarenga de Oliveira, doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (USP), com a tese “Do discurso oral ao texto escrito nas aulas de Ciências”

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN