Segundo Inep, maioria dos diretores da rede pública são indicados pelo governo

Muitas vezes a pessoa não é ligada à educação, e a escolha é político-partidária

Compartilhe
, / 794 0


De acordo com dados do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, do MEC), 59,8% dos diretores de colégios públicos foram escolhidos por indicação da prefeitura ou do estado em 2004. A prática se mostra recorrente, na medida em que, em alguns estados, esse percentual chega a ser superior a 90%, como o Amapá (94,7%), o Rio Grande do Norte (92,3%) e Sergipe (92%).



O percentual de diretores eleitos no país é de 19,5%, enquanto a taxa de concursados é menor: 9,2%. Em apenas cinco Estados o percentual de eleitos supera o de nomeados: Acre (onde 72,3% foram escolhidos por eleição), Paraná (58,8%), Rio Grande do Sul (50,9%), Mato Grosso (48,3%) e Mato Grosso do Sul (44,6%). Apenas em São Paulo a proporção de escolhidos por concurso supera a de nomeados, onde 51,8% dos diretores passaram por concurso público.



“A escolha por indicação é a pior forma por colocar na escola uma pessoa que não tem vinculação com o sistema educacional. É claro que, em alguns casos, pode existir algum critério nessa indicação, mas, na maior parte das vezes, a escolha é político-partidária”, afirma Maria do Pilar Silva, presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação e secretária municipal da Educação de Belo Horizonte. Além de ser a forma mais criticada por especialistas, a indicação política é, segundo o Saeb (exame do MEC que avalia a qualidade da educação), a que tem mais impacto negativo no desempenho dos estudantes.



(Fonte: Folha de S. Paulo)



Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN