Saúde em dia

Universidade de Guarulhos oferece programa de atendimento a crianças e adultos obesos, com apoio psicológico, nutricional e físico por Juliana Duarte Com base em …

Compartilhe
, / 2327 0

Universidade de Guarulhos oferece programa de atendimento a crianças e adultos obesos, com apoio psicológico, nutricional e físico

por Juliana Duarte

183_44

Com base em técnicas da terapia cognitiva, a psicóloga norte-americana Judith Beck defende no livro Pense magro – a dieta definitiva de Beck, a ideia de que é preciso treinar o cérebro para pensar como uma pessoa magra, sem excessos. Por aqui, a teoria da autora é a base de dois projetos realizados há 30 anos pela Universidade de Guarulhos: o Grupo de Atendimento a Obesos (GAO) e o Grupo Infantil de Obesidade (GIO). As iniciativas são vinculadas ao Programa de Ação Docente-Discente de Apoio Comunitário (Paddac) da UnG e surgiram a partir de trabalhos sociais feitos pelo psicólogo e coordenador do projeto José Carlos Cheque. “Começamos com o atendimento a crianças excepcionais. Foi então que percebemos a importância de oferecer apoio a diferentes necessidades”, comenta.

A cada trimestre, a equipe formada por professores e estudantes dos cursos de nutrição, psicologia e educação física desenvolve uma série de encontros gratuitos preparados para ajudar pessoas obesas e seus familiares. “Além de contribuir para a saúde dos inscritos, também é uma maneira de enriquecer a formação dos alunos”, ressalta o coordenador. Os estagiários participantes são escolhidos a partir de um processo seletivo com alunos da universidade.

Entre as atividades realizadas pelo pro­jeto está a promoção de encontros para ex­posição dos problemas da obesidade e uma sequência de dez passos para uma vida mais saudável. “Falamos sobre a escolha dos alimentos e buscamos saber se o problema está atrelado a questões físicas ou psicológicas”, explica. Exercícios físicos também são estimulados pela equipe. “Mostramos como mexer o corpo e quais são os benefícios desse trabalho”, conta.

Outro braço do projeto é a pesquisa. “Fazemos diversas pesquisas na área científica. Estudamos atualmente as principais causas da desistência”, diz Cheque. Para ele, a lista de recompensas do programa é grande. “Os alunos ficam realizados com os resultados, bem como os professores, e os participantes saem dos encontros mais felizes. Muitos associam o fato de comer a situações de tensão. A mudança comportamental que trabalhamos é fundamental para que as pessoas vençam o desafio de emagrecer”, afirma.


Atendimento a Obesos na UnGProjetos: Grupo de Atendimento a Obesos (GAO) e o Grupo Infantil de Obesidade (GIO)Tempo em atividade: 30 anos

Duração do programa: três meses

Número de pessoas atendidas: em média 500 pessoas interessadas por edição

Como funciona: o trabalho consiste em estabelecer dez passos em busca da saúde

Número de estagiários alunos da universidade: 110

Número de cursos envolvidos: três (nutrição, psicologia e educação física)

 

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN