Professor 24 horas

Sistemas de plantão de dúvidas na internet atraem docentes para um novo nicho de mercado, onde é possível trabalhar em casa e complementar a renda mensal

Compartilhe
, / 1711 0





iStockphotos
Esclarecer as dúvidas de um aluno sem ter como usar gestos ou desenhos na lousa. Tentar entender o seu perfil e o nível de explicação necessária considerando apenas como a pergunta é formulada. Este é um desafio que um número crescente de professores está enfrentando graças aos sistemas de plantões de dúvidas via internet que vêm sendo criados recentemente. A maior vantagem para os profissionais é poder trabalhar em casa e, dependendo do caso, em horários alternativos ou horas livres.


Criado no final de 2012, o site Professores de Plantão usa a mão de obra de alunos de mestrado e doutorado de instituições de ensino, como a USP e a Unicamp, e não oferece vínculo empregatício. “É uma maneira de estes estudantes terem um ganho extra”, diz Erica Lais Hoeveler, sócia do site. Ela explica que os professores recebem pelas horas trabalhadas no esclarecimento de dúvidas dos alunos e são remunerados apenas pelas perguntas que respondem.


Quando um aluno entra com uma dúvida, o sistema busca um professor especialista naquele assunto para que possa ensiná-lo. Segundo Erica, em um mês no ar, o site tem 500 alunos cadastrados e mais de mil professores. “Os educadores se inscrevem on-line também, nós conferimos as informações curriculares enviadas e então liberamos o acesso para que possam responder aos alunos”, explica.


Pagamento por tempo
O site tem o Facebook como ferramenta de acesso. O aluno se cadastra e compra um tempo de serviço, como funciona, por exemplo, com a telefonia pré-paga. O valor contratado pode ser utilizado para o esclarecimento de dúvidas em qualquer uma das matérias oferecidas: Matemática, Biologia, Língua Portuguesa, História, Geografia, Atualidades, Física e Química.


Erica conta que a ideia de criar o site surgiu a partir de uma situa­ção pessoal de sua sócia, Cinthia Gaban, que estava estudando Estatística para um concurso público. “Ela não conseguia resolver uma questão e também não conseguia encontrar pela internet um professor da área que pudesse esclarecer sua dúvida naquele dia”, lembra. Como as duas estudavam há algum tempo uma alternativa para investir em um negócio próprio, começaram a desenvolver o projeto de um site para esclarecimento de dúvidas dos alunos online. O foco inicial são alunos do ensino fundamental II e do ensino médio, mas há um crescimento na procura entre aqueles que estão prestando vestibular e concurso. “A grande facilidade deste público é que muitos já têm cartão de crédito e não dependem de um responsável para inscrevê-los no nosso serviço”, afirma Erica.


Jornada de trabalho
A empresa tem o apoio da incubadora de negócios da Telefonica/Vivo, que fez um investimento inicial de US$ 50 mil e também presta apoio ao Professores de Plantão. Outros grupos já investem em sites semelhantes, em que os alunos podem ter contato rápido com um professor, seja para ajudar em um plano de estudos, seja para esclarecer uma dúvida imediata de quem está estudando para uma prova, vestibular ou concurso. A meta é que o aluno tenha sempre o seu problema resolvido em prazos inferiores a 24 horas.


Segundo Gabriel Alexandre Costa, um dos fundadores do Professores On-line, o site atende hoje a seis escolas privadas, duas secretarias municipais de Educação e a estudantes que contratam o serviço diretamente pelo site. Ele afirma que são 50 mil alunos cadastrados no serviço de plantão de dúvidas. “Desenvolvemos a proposta do site porque muitos estudantes não podem contar com os pais para ajudar no esclarecimento de dúvidas no momento dos estudos. Eles também têm dificuldades de encontrar, mesmo na internet, ajuda específica em determinadas matérias para que possam estudar ou fazer as tarefas que foram passadas na sala de aula”, explica.


Apoio específico
Quando uma escola ou prefeitura contrata o serviço, existe também a possibilidade de que o site ofereça material didático e de apoio específico para os alunos daquela instituição. O serviço é oferecido para estudantes a partir do 6o ano do ensino fundamental e é muito procurado também por quem está prestando vestibular ou concursos. Diferentemente do Professores de Plantão, o Professores On-line contrata os profissionais, que cumprem uma jornada de trabalho mensal, com um horário preferencial para o plantão. Conforme a jornada de trabalho de cada um, os professores são informados via e-mail e SMS quando uma dúvida da área de sua especialidade é postada. O prazo máximo para que a dúvida seja esclarecida é de 24 horas por contrato, mas Gabriel afirma que atualmente o tempo máximo na prática é de 6 horas. Além de ajudar a resolver exercícios e esclarecer dúvidas, os professores de Língua Portuguesa também avaliam redações e textos que são enviados pelos alunos.


Perfil profissional
O perfil de profissionais que trabalham para o site são professores jovens, com convívio no ambiente de internet, facilidade de responder de forma clara por escrito e experiência na sala de aula. “Após a contratação, eles recebem um material de treinamento e passam por um período de testes, em que suas respostas são analisadas por orientadores, só depois disso é que passam a responder diretamente aos alunos”, explica Gabriel.


A professora de Língua Portuguesa Ana Lúcia Martins trabalha há um ano no Professores On-line. Segundo ela, o maior desafio do sistema de trabalho é entender pela pergunta qual é o nível de aprofundamento necessário para responder àquele aluno que apresentou a dúvida. “Os professores respondem sem saber quem é o aluno e precisam entender as necessidades deles apenas com base na maneira como a dúvida foi apresentada. Não existe uma resposta pronta, temos de nos adaptar às necessidades de quem está do outro lado”, explica. Ela conta que, salvo raríssimas exceções, as perguntas apresentadas não exigem uma pesquisa específica do professor para sua resposta. “Isso é mais comum de acontecer na análise de textos escritos pelos estudantes, que podem ter um tema bastante específico que o professor não domina. Neste caso, ele precisa ter informações sobre o assunto para poder analisar melhor a qualidade do texto”, exemplifica.


Ana Lúcia diz que o professor não dá nota para as redações que recebe, mas analisa como o aluno abordou o tema, a coerência, a adequação, além de apontar erros de ortografia e gramática e propor modificações que melhorem a qualidade do texto escrito. Em literatura, as principais dúvidas são relacionadas aos livros de leitura obrigatória para os vestibulares.


Língua estrangeira
A inclusão das línguas Inglesa e Espanhola é um dos diferenciais da Escola 24 Horas, dirigida pelo professor Severino Félix da Silva. O portal foi criado em 2000 com o conteúdo em textos, vídeos e exercícios interativos, como uma forma de reforço. O site também oferece áreas específicas de auxílio a professores e pais. A ideia de oferecer um plantão de esclarecimento de dúvidas fez parte do desenvolvimento do portal. Silva conta que o site contrata os professores para uma jornada de trabalho semanal e que eles são remunerados pelo tempo de trabalho independentemente de esclarecerem dúvidas dos alunos nestes horários ou não. “Em horário normal, das 7 horas às 23 horas, 90% das perguntas são respondidas em menos de 20 minutos”, afirma. Ele explica que o processo de contratação é semelhante ao que é usado nas escolas e que cada disciplina tem seu coordenador. “No início, após passar por um treinamento, o professor é acompanhado em suas respostas por um colega mais experiente”, diz. Todos os professores participam de duas reuniões presenciais anuais.


O professor de Física Carlos Eduardo Deodoro Rodrigues trabalha na rede pública de ensino do Rio de Janeiro e na Escola 24 Horas. Ele afirma que a experiência na internet o tem ajudado a incorporar o uso de novas tecnologias também na sala de aula, mas seu ganho profissional mais importante é o aperfeiçoamento na capacidade de traduzir sua explicação em palavras de forma clara e objetiva. “Geralmente, os alunos de uma sala de aula têm dúvidas e dificuldades semelhantes, quando trabalhamos na internet são estudantes de todo o Brasil, com uma diversidade muito maior”, afirma.








Características dos sites


Doutor em Educação, o professor Cipriano Luckesi acredita que o sistema de plantão de dúvidas on-line pode ser eficiente em determinadas circunstâncias, como a própria necessidade do aluno. “Caso as necessidades estejam limitadas a informações e/ou operações mentais, funciona sim; para aprendizagens que exigem estágio supervisionado, não.” Ele lembra ainda que a ferramenta pode ser útil dependendo da presteza do atendimento e da própria capacidade do aluno de estudar e aprender individualmente, através de um diálogo interativo com o professor virtual. “É preciso que o sistema de reforço tenha educadores capacitados para atender o aluno no momento da sua necessidade; que tenha recursos on-line com capacidade de interatividade imediata e paciência do professor on-line para atender as necessidades individuais do aluno”, afirma.

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN