Olhares (di)versos

Vencedores da última edição da Olimpíada de Língua Portuguesa falam sobre suas inspirações e ressaltam a importância da competição

Compartilhe
, / 948 0






Pipa era um menino que dizia gostar da solidão. Mestre em soltar papagaio, passava o tempo apenas com sua pipa e a imaginação. No assentamento onde morava, as pessoas não conseguiam compreendê-lo: era considerado louco. Mas para um garoto da vila, que observava tudo de longe, o espírito livre de Pipa era algo fascinante.


A história acima foi retirada dos versos escritos por Éricles da Silva Santos, estudante do 2° ano do ensino médio e vencedor da última edição da Olimpíada de Língua Portuguesa, em 2010, na categoria crônica. Com caráter bienal, a Olimpíada desenvolve ações de formação de professores com o objetivo de melhorar a escrita e a leitura nas escolas públicas brasileiras.


Nos anos pares é realizado um concurso de produção de textos que envolve alunos do 5° ano do ensino fundamental ao 3° ano do ensino médio de escolas de todo o país. O tema “O lugar onde eu vivo” é desenvolvido em quatro gêneros textuais: poema, no 5° e 6° anos; memórias, no 7° e 8° anos; crônica, no 9° ano do ensino fundamental e 1° ano do ensino médio; e artigo de opinião, no 2° e 3° anos do ensino médio.


Antes de vencer em 2010, Éricles já havia participado da Olimpíada, mas não obteve sucesso. “No primeiro ano que eu participei apenas uma menina da escola conseguiu passar para a fase seguinte. Isso deixou todo mundo com o desejo de tentar. As pessoas se sentem influenciadas. No meu ano fui eu e outra aluna; esse ano já foram três. As pessoas ficam admiradas e também querem participar”, conta o estudante, que disputa mais uma vez, nesse ano, a fase final da Olimpíada de Língua Portuguesa, na categoria artigo de opinião.


A cultura popular de sua cidade, Japaratuba, localizada no norte de Sergipe, foi a inspiração para escrever o texto “A Pipa, o Bispo e o Azul”. “Minha cidade é conhecida pela diversidade cultural. Eu quis focar meu texto no descaso com a cultura popular”, explica. Para isso, o estudante criou o personagem Pipa com a intenção de fazer um paralelo com o artista Arthur Bispo do Rosário, nascido na mesma cidade que Éricles. “As pessoas consideravam Arthur Bispo do Rosário louco, assim como o personagem que eu criei. É um trocadilho”, diz.


Inspiração nos professores
Já para Eduarda Moura, estudante do 9° ano do ensino fundamental em Cruzeiro do Sul, no Acre, a inspiração para o texto “Chão Varrido”, vencedor na categoria memórias, foi sua professora. “A gente tinha que escrever sobre uma pessoa próxima. Minha professora é uma pessoa muito legal, a gente se dava bem. E eu achei interessante escrever sobre a vida dela quando criança porque era bem diferente da minha. Ela morava no interior, num lugar bem afastado”, relembra Eduarda.


A importância da figura do professor na Olimpíada de Língua Portuguesa é ressaltada também pela estudante Pâmela de Oliveira, vencedora na categoria poema com o texto “Meu pedaço de terra vermelha”. “A motivação para eu participar da Olimpíada foi minha professora. Durante as aulas, nós começamos a trabalhar com oficinas, íamos conhecendo diversos autores, escrevendo coisas como quadrilhas, tudo bem descontraído e fora do ritmo escolar”, conta Pâmela.


A jovem, que considera Castro Alves seu escritor preferido, quis mostrar em seu poema aspectos relevantes de Minas Gerais, estado onde vive. Para ela, trabalhar no poema, em cada linha e palavra dele foi a parte mais prazerosa da competição. Pâmela ressalta também a importância da Olimpíada na sua formação. “Eu me tornei uma pessoa muito mais confiante. Passei a me sentir capaz e ganhei novos objetivos. Quero terminar meus estudos e cursar promotoria.”, planeja.


Os vencedores da Olimpíada de Língua Portuguesa recebem medalha, computador e impressora, além de ganhar para a escola 10 computadores, uma impressora, um projetor, um telão para a projeção e livros. Admirador da Olimpíada, Éricles considera que os prêmios são uma motivação, mas além de bens materiais a competição fez com que ele despertasse outros olhares sobre o mundo e ganhasse novos horizontes. “Eu fiz novos amigos, conheci outros lugares e andei pela primeira vez de avião!”.


Os textos vencedores da edição 2012 serão divulgados no dia 10 de dezembro. No site da Olimpíada de Língua Portuguesa , professores que ainda não participaram de nenhuma edição podem ter acesso a materiais com propostas de atividades para serem desenvolvidas em sala de aula, artigos e cursos online.


Assista aos vídeos com os textos de Eduarda, Éricles e Pâmela, vencedores da última edição:

“Chão varrido” http://centraldemidia.mec.gov.br/play.php?vid=1170

“A pipa, o bispo e o azul” http://centraldemidia.mec.gov.br/play.php?vid=1171

“Meu pedaço de terra vermelha” http://centraldemidia.mec.gov.br/play.php?vid=1146


 

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN