O encontro virtual

Professores e alunos celebram bons tempos de escola em comunidades criadas dentro do site Orkut

Compartilhe
, / 917 0





Jéssika Torrezan

Imagine sua turma da pré-escola ou do colegial. Com quantas pessoas você ainda tem amizade ou mantém contato? Pode ser pela falta de tempo, pela distância, pelo trabalho – o fato é que os vínculos com antigos colegas aos poucos se enfraquecem ou mesmo desaparecem. Por meio do site Orkut (
leia mais no quadro ao lado

), porém, muita gente está reatando laços com colegas ou mesmo amiguinhos dos tempos do jardim de infância.




A maioria das comunidades de colégios foi criada por alunos e ex-alunos, sem a intervenção de professores ou da direção. A maior comunidade relacionada a escolas do ensino fundamental ou médio é a do Colégio Bandeirantes, de São Paulo (SP), com mais de 3.500 membros. “Assim como eu, todos que tiveram contato com o colégio criaram fortes vínculos com os colegas e com o ambiente”, explica o ex-aluno Jan Marcel Gentil, criador do grupo.




Gentil já reencontrou mais de cem amigos e fez novas amizades. O mesmo aconteceu com João Paulo Dullius, criador da comunidade do Colégio Rosário, de Porto Alegre (RS), que tem mais 2.600 membros. “Acho que reencontrei mais de 50 amigos por meio da comunidade”, afirma. “É sempre bom encontrar outras pessoas que viveram os mesmos momentos e experiências, para podermos relembrar.”




Heloísa Reuter, diretora da pré-escola paulistana Externato Aldeia, que também está no Orkut, ficou comovida ao encontrar a comunidade de sua escola, hoje com 28 membros. “Levei um susto, porque lembrava dos alunos todos pequenos e agora já são homens e mulheres. Mas fiquei muito emocionada em saber que os ex-alunos têm tanto carinho pela escola em que estudaram quando eram crianças”, diverte-se.




Nem tudo é saudosismo. Muita gente aproveita o espaço para falar mal de antigos professores. “Muitos tópicos se referem a classificar o melhor ou pior professor”, pondera o gaúcho Dullius. “Vários professores possuem comunidades criadas por alunos em sua ‘homenagem’.”




Émerson Bento Pereira, ex-aluno e atual coordenador cultural do colégio Bandeirantes, conta que já leu coisas desagradáveis a respeito dele e de outros professores. “Se é uma crítica construtiva, nós tentamos melhorar”, afirma. “Se é crítica pela crítica, levamos na esportiva.” Ele não se lembra de ter lido nenhum insulto ou problema mais grave ocasionado exposto no Orkut.




Encontro -Localizados os amigos, é a hora de programar o reencontro – agora em carne e osso. Alguns colégios, como o paulistano Arquidiocesano, já possuem a tradição de juntar os ex-alunos. “A associação de ex-alunos sempre foi muito ativa, e todo reencontro é sempre uma festa”, brinca Cleusa Diniz, ex-aluna e professora de informática do Colégio Arquidiocesano. Cleusa nota que a internet facilita muito o contato entre os ex-alunos.




Nas comunidades dos colégios Bandeirantes e Rosário, os alunos se encarregam de promover essas festas. “Já houve um encontro de todos os ex-alunos que foi combinado pelo Orkut, mas infelizmente eu não pude participar”, lamenta Gentil, do Bandeirantes.


Alexandre Grechi, um dos 500 membros da comunidade do colégio da Fundação Bradesco, de Osasco (SP), promoveu um encontro de ex-alunos num bar e achou engraçado rever os colegas. “Alguns chegam de terno e gravata, outros casados e com filhos, a maioria extremamente mudada”, comenta. “Mas, depois de um tempo, começamos a relembrar as coisas e fazer as brincadeiras que fazíamos no colégio. No final, parecia o recreio.”


Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN