MEC afirma que adiamento da Conae deve-se a altos custos do evento

Em nota, o Ministério da Educação justifica que não há prazo hábil para nova licitação e a única opção viável foi a mudança de data

Compartilhe
, / 1194 0

A menos de um mês da realização da II Conferência Nacional de Educação (Conae), o Fórum Nacional de Educação (FNE) anunciou que o evento será adiado para o mês de novembro, entre os dias 19 e 23. A conferência estava programada para o período de 17 a 23 de fevereiro.

Em nota, o FNE reconhece o prejuízo do adiamento e afirma que a postergação se deve a uma decisão administrativa do Ministério da Educação (MEC). Segundo o MEC, “o evento ganhou uma grande dimensão”, gerando custos incompatíveis com o “padrão de austeridade que o MEC destina às suas ações e eventos”.

A implementação do Plano Nacional de Educação, que está para ser aprovado no Congresso Nacional, assim como o debate sobre as versões apresentadas pela Câmara dos Deputados e o Senado Federal, eram ponto central da Conferência. O MEC afirma que a nova data não traz prejuízos aos debates sobre as metas do PNE, que deve ser votado antes da realização da Conae.

Veja abaixo a resposta do Ministério da Educação por meio de sua assessoria de imprensa:

“O evento ganhou uma grande dimensão, com a participação de quatro mil pessoas. Com isso, todos os custos referentes à logística, como transporte aéreo, alimentação, hospedagem, apresentados pela empresa organizadora do evento, são incompatíveis com o padrão de austeridade que o MEC destina a todas as suas ações e eventos. Como não há prazo hábil para uma nova licitação, a única opção viável foi o adiamento. A nova data não traz prejuízos aos debates sobre as metas e estratégias do PNE, que deve ser votado até a realização da Conae em novembro.”

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN