Jogo da vida

Em um país com índice de 8,3% de abandono escolar, projeto utiliza brincadeira de tabuleiro para mostrar conseqüências econômicas da assiduidade

Compartilhe
, / 937 0



Um jogo de tabuleiro, no estilo dos tradicionais Monopólio, Banco Imobiliário e Jogo da Vida, está sendo utilizado como arma no combate à evasão escolar no Brasil – onde o índice de evasão atinge 8,3% das crianças e dos adolescentes em idade escolar, segundo dados, de 2001, do Ministério da Educação. Combater a saída dos adolescentes das escolas públicas é o objetivo do projeto
Vantagens de se Permanecer na Escola

, criado pela Associação Junior Achievement, que desenvolve projetos de educação econômica em escolas. De maneira lúdica, jovens de 7
a

e 8
a

séries do ensino fundamental de escolas públicas tomam consciência da importância dos estudos na vida profissional de cada um.



O jogo é composto de um tabuleiro, dados e cartas. Os alunos vão passando pelas tarefas e têm de cumprir as determinações das casas em que param. “Eles podem passar por uma série de situações, como perder o emprego porque não têm o segundo grau completo ou parar de estudar para ajudar a família”, explica Denise Ilha, da Junior Achievement. “Quanto mais estudam, mais pontos acumulam. Ganha quem chegar aos 300 pontos, que equivale a entrar na universidade.”



“Nós queremos que os alunos percebam o grau de qualificação de que necessitam para se inserir no mercado de trabalho”, afirma Aik Brandão, consultora de recursos humanos da Telemar, empresa parceira no projeto. “Por meio do jogo, eles aprendem o quanto é importante continuar estudando.”



No ano passado, 72 escolas públicas participaram do programa, que atendeu cerca de 18 mil alunos, em oito Estados brasileiros. Atualmente, 13 Estados participam do projeto, que caminha para sua quarta edição. Este ano, mais de 8 mil estudantes já foram envolvidos no projeto, em 45 escolas.



O projeto inclui também outras atividades. “A brincadeira é a principal atividade, mas nós temos debates, textos para reflexão”, explica Denise. “Nas discussões após os jogos, introduzimos conceitos como empregabilidade, primeiro emprego, entrevistas de trabalho, coisas que dificilmente seriam discutidas em casa”, complementa Aik.



A Escola Estadual Djalma da Cunha Batista, de Manaus (AM), é um dos estabelecimentos onde o programa foi aplicado. Segundo a pedagoga do colégio, Márcia Chaves, os alunos gostaram da iniciativa. “Eles adoram, até porque participam de atividades diferentes, com outras pessoas que não os professores. A resposta foi muito positiva”, afirma. As atividades são ministradas por funcionários da Telemar, que participam do programa de voluntariado da empresa. A Junior Achievement é responsável pela concepção e elaboração do material.
(JT)



Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN