Fábio Eduardo Zambon

vice-presidente do Sindicato dos Professores de São Paulo

Compartilhe
, / 948 0




Qual o diagnóstico que você faz da educação básica no Brasil? Quais os principais problemas, avanços e retrocessos que a educação vive?





A universalização do ensino fundamental e o aumento do número médio de anos da permanência dos alunos na escola são, indiscutivelmente, aspectos positivos da educação nacional. Mas esse avanço também reflete uma deficiência.




As reformas educacionais a partir dos anos 90 privilegiaram a universalização da educação fundamental e, portanto, limitaram o direito constitucional de acesso à educação infantil e ao ensino médio. Isso representou o rompimento com a principal característica da educação básica: a de ser uma educação una, íntegra, que incorpora a vida escolar às crianças desde as fases iniciais, problema que pretende ser parcialmente resolvido com o Fundeb.



A ampliação do debate sobre a qualidade da educação também se mostrou com virtudes e defeitos. Nunca tantas pessoas opinaram tanto sobre escola, mas muitas vezes esse debate foi feito com pouco critério e por pessoas que não possuíam relação com a educação escolar. Em muitos casos, prevaleceu uma crítica desqualificadora do trabalho docente e uma divisão do trabalho que excluiu os professores da elaboração do projeto pedagógico.



 





Na sua opinião, qual é o principal desafio para alavancar o desenvolvimento e a qualidade da educação em nosso país?





Educação de qualidade exige condições materiais garantidas a todos os atores envolvidos. É preciso garantir à família condições para que os seus filhos possam estudar. É necessário que a criança permaneça mais tempo na escola – quatro horas é muito pouco. É preciso que as escolas disponham de espaços adequados e recursos pedagógicos diversificados.




Por último, é indispensável que os professores possuam boas condições de trabalho e de salário para exercer o seu ofício. Até hoje, o artigo 67 da LDB não é integralmente cumprido – nem na rede pública, nem na privada. Esse artigo reconhece que a qualidade de ensino depende de condições adequadas de trabalho, que passam, inclusive, pela destinação de parte da carga horária do professor para atividades de planejamento e desenvolvimento do projeto pedagógico.



 


Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN