Estudantes de escolas públicas na América Latina perdem um dia de aula por semana

Pesquisa do Banco Mundial envolveu três mil escolas em sete países

Compartilhe
, / 1040 0
Gustavo Morita
Na América Latina, baixa produtividade resulta em um dia a menos de aula por semana

A cada semana, os estudantes das escolas públicas na América Latina e no Caribe são privados do equivalente a um dia de aula, segundo o relatório Grandes professores: como melhorar o aprendizado dos estudantes na América Latina e no Caribe, do Banco Mundial. A pesquisa, que envolveu três mil escolas primárias e secundárias em sete países latino-americanos, incluindo o Brasil, descreve como a falta de professores, a sua má formação, o baixo nível de competência e de remuneração, assim como uma administração escolar deficiente, fazem com que os estudantes sejam prejudicados com menos horas de aula. No Brasil, que registrou o segundo melhor nível depois da Colômbia, apenas 64% do tempo é dedicado efetivamente ao ensino. Segundo a autora do relatório, Barbara Bruns, “quase todos os países da região parecem estar presos a um equilíbrio de baixo nível de padrões inferiores de entrada no ensino, salários relativamente baixos e indiferenciados, ensino deficiente na sala de aula e parcos resultados educacionais”, o que implica que “a mudança para um equilíbrio de alto nível será difícil, mas constitui um esforço que a região não pode se permitir adiar”.

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN