Estudantes da rede pública ajudam a controlar a dengue em município de Rondônia

Projeto já envolveu mais de 900 alunos e conta com a parceria das secretarias da Saúde e do Meio Ambiente

Compartilhe
, / 1029 0
Vagner Ribeiro
A professora Viviane Briokowiec criou o projeto “Cacoal contra a dengue”

Há três anos e meio a professora de biologia Viviane Briokowiec iniciou o projeto “Cacoal contra a dengue”, que consiste na distribuição de sementes de crotalária. A planta atrai as libélulas, predadores naturais das larvas e do mosquito causador da dengue. Os alunos do fundamental 2 e ensino médio aprendem sobre o assunto, recebem mudas para suas casas e são incumbidos de distribuir outras mudas para a população, explicando sobre a doença e como evitá-la. Mais de 900 alunos da escola estadual de Viviane já se envolveram com a ideia. “Eles adoram sair às ruas, abordar as pessoas, explicar o que conhecem. Adolescente gosta desse contato, de falar e ser ouvido”, diz. Segundo Viviane, a direção, colegas e toda a equipe pedagógica sempre deram apoio, desde o início.

“Seria muito difícil, se não impossível, fazer algum projeto sozinha.” O projeto continua e hoje conta com uma parceria com as secretarias da Saúde e do Meio Ambiente, cujos agentes passaram a distribuir mudas da planta durante as visitas que fazem às residências. Viviane tem planos para um novo projeto, sobre o caramujo africano, que deve ser iniciado ainda este ano. “É uma praga na cidade, em todo o estado”, relata. A intenção é conscientizar a população sobre os perigos e ensinar o que fazer ao encontrar um desses no quintal. “A escola está na comunidade, por isso sempre tento envolvê-la. Não dá para a gente trabalhar isolado”, acredita.

Leia mais: como professores de todo o Brasil transformaram a vida de seus alunos

*Reportagem publicada originalmente na edição 210 de Educação, com o título “Profissão: transformar”

 

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN