Escolas mesclam educação formal com tecnologia

Iniciativas internacionais permitem contato prático com conhecimento

Compartilhe
, / 5445 0

shutterstock_140576308

Para algumas escolas, a dúvida se a tecnologia deve ou não entrar em sala de aula é coisa do passado. Disciplinas como matemática e ciências são estudadas de maneira interdisciplinar, com conceitos de engenharia e tecnologia aplicados na prática, tudo ainda na educação básica.

O modelo trabalha com o conceito do design thinking, o método de análise do design, no qual o aluno passa por todas as etapas de criação e realização de um projeto, ao invés de reproduzir um conteúdo como é feito normalmente nas provas e trabalhos da escola tradicional.

O objetivo é potencializar o aprendizado através da experimentação. O ato de errar é valorizado como parte do processo, o que estimula o estudante a superar suas dificuldades, já que sem chegar à formulação correta não é possível concretizar o projeto.

Grande parte desse desenvolvimento é feito nos Fab Labs, laboratórios de fabricação digital, ou laboratórios de prototipagem. Esses ambientes possuem máquinas, como impressoras 3D, fresadoras, cortadoras a laser, cortadoras de vinil, além de computadores, softwares e outras ferramentas que permitem a experimentação rápida, tanto física como digital.

As possibilidades são muitas. Conheça algumas iniciativas de sucesso:

Leia sobre experiências nacionais aqui — 

The Nueva School
O que é?
Instituição privada norte-americana voltada para crianças superdotadas, da educação infantil ao ensino médio.

Seu diferencial é a aplicação do design thinking e de laboratórios de prototipagem (makers spaces, em inglês), onde os alunos podem colocar em prática seus projetos.

Como funciona?
Toda a aprendizagem é interdisciplinar. Os estudantes trabalham em projetos  — em grupo ou individualmente — fazendo pesquisas sobre um tema comum da formação básica, como leitura e matemática.

A partir disso podem aplicar o conhecimento e testar suas próprias iniciativas por meio de protótipos e experimentações.

Como isso se aplica na prática?
Os estudantes podem participar de um curso de empreendedorismo, em que aprendem a desenvolver a própria ideia de negócio e colocá-la em andamento.

Existe ainda a possibilidade de editar e apresentar projetos em vídeo e música, participar de competições de robótica, entre outras atividades.

Summit Public Schools
O que é?
Rede de escolas estadunidenses voltadas para o ensino híbrido, mesclando atividades on e offline.

A rede é administrada pela iniciativa privada e conta com 11 unidades na Califórnia e em Washington.

Como funciona?
A Summit busca incentivar a autonomia e não divide os alunos por idade ou etapa escolar.

Quase metade das atividades semanais são desenvolvidas individualmente pelos alunos em seus laptops e a outra parte é voltada para desenvolvimento de projetos.

Como isso se aplica na prática?
Além do estudo “tradicional” realizado nos computadores, os alunos tem liberdade para criar projetos individualmente, em grupo, ou mesmo em parceria com um professor.

Há ainda períodos livres para “expedições”, em que os estudantes podem explorar algo de seu interesse, como um hobbie ou uma profissão, dentro ou fora da escola.

Ross School
O que é?
Escola norte-americana privada, atuante da educação infantil ao ensino médio.

Possui a prototipagem como diferencial de aprendizado.

Como funciona?
Alunos podem desenvolver pesquisas e projetos em eletrônica, programação, visualização de dados e mídia digital.

As atividades desenvolvidas em sala de aula integram conceitos da formação tradicional e outros personalizados. Entre eles, artes, escrita, literatura, saúde, bem-estar e uso de tecnologia.

Como isso se aplica na prática?
Laboratórios e oficinas permitem que os alunos criem soluções inovadoras para problemas locais e globais, como por exemplo a construção e desconstrução de mensagens contemporâneas de mídia em televisão, cinema, propaganda e jogos digitais.

Incubator School
O que é?
Projeto-piloto de educação em uma escola pública americana em Los Angeles.

Seu objetivo é formar estudantes que sejam empreendedores, montando suas próprias empresas e start-ups a partir do 8º ano do ensino fundamental.

Como funciona?
Os alunos aprendem conteúdos tradicionais — como matemática e língua inglesa — em plataformas educacionais.

O estudo de ciências é realizado no laboratório de desenvolvimento de projetos.

Os alunos têm ainda aulas sobre como criar uma empresa, com temas como plano de negócio e educação financeira.

Como isso se aplica na prática?
Entre as atividades já realizadas pelos alunos estão reuniões com CEOs de empresas e jornalistas, a criação de websites e de projetos para redesenhar a orla de praias, apresentação de conferências e levantamentos estatísticos.

Nuvu Studio
O que é?
Escola complementar à formação básica. É associada ao MIT (Massachussets Institute of Technology).

O objetivo é incentivar o desenvolvimento de projetos inovadores em tecnologia.

Como funciona?
Por ano, 50 estudantes são selecionados para participar do programa. Dentro dessa escola, eles entram em contato com o mundo da robótica, da programação, do desenvolvimento de aplicativos, da arte digital e da criação de documentários.

Com recursos tecnológicos de ponta, os estudantes participam de projetos para desenvolver soluções reais de impacto social.

Como isso se aplica na prática?
Alguns exemplos de produtos inventados por alunos são um aplicativo que cria uma competição saudável para ajudar os usuários a melhorar seu condicionamento físico, um projeto que une educação e futebol para ajudar jogadores do Haiti a chegar a universidades americanas e da Europa e uma animação que mostra como as mídias sociais causam ansiedade.

Outras iniciativas

Fab Education
O que é?
Movimento internacional criado pela Fab Fundation, instituição americana sem fins lucrativos que busca auxiliar e interligar laboratórios de fabricação digital (fab labs) e prototipagem pelo mundo.

A rede conta com mais de 450 Fab Labs em diversos locais, tendo como precursor o Center for Bits and Atoms do MIT (Massachusetts Institute of Technology).

Como funciona?
O Fab Education auxilia escolas e instituições que desejam oferecer aprendizagem em fabricação digital.

O programa da fundação tem três alicerces principais: educação, capacidade de criação e serviços e oportunidades de negócios.

Como isso se aplica na prática?
No campo da educação, a Fab Fundation permite que Fab Labs pelo mundo possam compartilhar os projetos de seus alunos pela plataforma. O Brasil possui 15 Fab Labs registrados no site do movimento, você pode conferir quais são eles clicando aqui.

Além disso, são oferecidos cursos acadêmicos e tutoriais sobre como participar, utilizar e até mesmo criar seu próprio laboratório.

 

Scratch*
O que é?
Plataforma que ensina programação a crianças de 8 a 16 anos utilizando o princípio dos brinquedos de montar do tipo Lego.

O projeto foi criado no Media Lab do MIT (Massachusetts Institute of Technology).

Como funciona?
A ferramenta usa blocos coloridos de informação que se encaixam, assim como as peças de Lego. À medida que a criança escolhe e ordena ações, cores e sons, seus comandos tomam forma.

É possível criar histórias interativas, jogos e cartõe, além de compartilhar com outros usuários.

Como isso se aplica na prática?
Um exemplo recente é o projeto “Pequeños Programadores”, que começou em novembro de 2014 na Venezuela, sob coordenação da educadora Camila Magrane.

Aulas de programação são dadas a alunos do 4º e 5º anos do ensino fundamental, como foco no desenvolvimento de jogos.

 

*Com informações do Innove Edu

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN