“Era inspirador ir para a escola com professores que não estavam ali apenas por obrigação”

Nesse Dia dos Professores, perguntamos a diferentes pessoas quem foram os educadores que marcaram a vida delas. Veja abaixo o depoimento da jornalista Jéssica Cruz

Compartilhe
, / 925 0

Eu estudei no Objetivo, em Mauá, e justamente por lá ter essa ideia de “aula show”, acabávamos nos tornando muito amigos dos professores. Mas um deles marcou mais: professor Clides, de história. Ele era muito engraçado. Nas aulas ele desenhava um boneco que tinha inventado, o Pelegri, que era chamado sempre que alguma coisa importante era dita e ninguém fazia uma pergunta. O Pelegri fazia, então, as perguntas que os alunos não faziam. No 2° ano, nós resolvemos dar um presente de Natal para todos os professores e costuramos um Pelegri de verdade para ele. Nesse mesmo ano eu o convidei para dançar tango comigo em um festival da escola. Nós ensaiamos por quatro ou cinco meses. Ele já tinha 58 anos; foi uma superação. No 3° ano o professor Clides foi meu padrinho de formatura.


Não só o professor Clides, mas todos que me deram aula no ensino médio inspiravam muito a gente e nos davam confiança porque essa é uma época do colégio muito complicada. Eu sempre tive muita certeza que queria fazer jornalismo, mas meus professores deixavam as coisas mais leves, nos faziam entender que podíamos errar. É inspirador ir para a escola dessa forma, com professores que não estavam ali apenas por obrigação. Eu também queria fazer algo que não fosse apenas obrigação, mas sim por prazer, como eles faziam.


Jéssica Cruz, jornalista

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN