Em zona de conflito, escolas na Ucrânia aderem ao ensino a distância

Aulas online são ministradas em cerca de um terço das escolas situadas em região separatista

Compartilhe
, / 1698 0

Com medo dos conflitos separatistas, a alternativa encontrada por 50 das 150 escolas da cidade de Donetsk, na Ucrânia, foi o ensino a distância, segundo o departamento de educação da cidade. Assim, o acesso à educação de cerca de 32 mil alunos – o que corresponde a 45% dos alunos da região – é feito via online.

Materiais de estudo e lições de casa são enviados aos alunos por e-mail e, muitos professores, passaram a postar instruções em sites de curadoria escolar ou em forma de vídeos no YouTube. Apesar da situação, os alunos têm se mostrado dispostos a continuar os estudos, de acordo com Andre Udovenko, chefe do departamento de educação de Donetsk.

As escolas fecharam as portas após muitas delas terem sido afetadas pelos bombardeios – em novembro, dois estudantes foram atingidos por bombas enquanto jogavam futebol em uma escola.

Com informações da Associated Press/G1

Em zona de conflito, escolas na Ucrânia aderem ao ensino a distância

Aulas online são ministradas em cerca de um terço das escolas situadas em região separatista

Compartilhe
, / 0 0

Com medo dos conflitos separatistas, a alternativa encontrada por 50 das 150 escolas da cidade de Donetsk, na Ucrânia, foi o ensino a distância, segundo o departamento de educação da cidade. Assim, o acesso à educação de cerca de 32 mil alunos – o que corresponde a 45% dos alunos da região – é feito via online.

Materiais de estudo e lições de casa são enviados aos alunos por e-mail e, muitos professores, passaram a postar instruções em sites de curadoria escolar ou em forma de vídeos no YouTube. Apesar da situação, os alunos têm se mostrado dispostos a continuar os estudos, de acordo com Andre Udovenko, chefe do departamento de educação de Donetsk.

As escolas fecharam as portas após muitas delas terem sido afetadas pelos bombardeios – em novembro, dois estudantes foram atingidos por bombas enquanto jogavam futebol em uma escola.

Com informações da Associated Press/G1

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN