A roda do meio ambiente

Dissertação analisa os significados e os sentidos da educação ambiental para as crianças no contexto da educação infantil

Compartilhe
, / 157 0

Educação ambiental

“Devemos cuidar da Terra, que é nosso planeta, porque moramos nele.” As palavras de uma aluna da EMEI Professora Eva Mann, na cidade de Rio Grande (RS), surpreenderam a pesquisadora Daniele Jardim.

A capacidade da criança de lidar com conceitos como “planeta” e o senso de cuidado e responsabilidade com relação ao meio que a cerca motivaram a pesquisadora a usar a frase como abertura de um dos capítulos da sua dissertação de mestrado, defendida pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG), em 2010.

O objetivo era analisar os significados e os sentidos da educação ambiental para as crianças no contexto da educação infantil. Por três meses, Daniele acompanhou as aulas de uma turma de dez crianças, na faixa etária dos 4 aos 5 anos. As conclusões de seu trabalho são surpreendentes: as crianças dominavam diversos conceitos, como “meio ambiente”, “desperdício” e “reciclagem”.

Uma das coisas que mais chamou a atenção de Daniele durante o processo foi analisar o trabalho da professora Patrícia Guimarães, responsável pela turma observada. Para a pesquisadora, a postura da professora foi o que mais influenciou o desenvolvimento das crianças daquela turma. “As crianças conseguiam passar o que aprenderam a todo momento, com a própria turma, com outras turmas, em outras atividades”, explica.

Uma prática costumeira era organizar rodas de conversa, onde as crianças faziam combinações para atividades diversas com a professora e eram levadas a conversar sobre assuntos decorrentes do andamento das aulas e/ou trazidos de casa A pesquisadora descreve na dissertação:

“Nessas condições, penso que a roda de conversa pode ser entendida como uma atividade que propicia uma aproximação entre as crianças e destas com os adultos do contexto, ocasionando uma relação entre si e com o mundo, produzindo o conhecimento. De acordo com a abordagem sócio-histórica, essa relação gerada é mediada por instrumentos facilitadores da comunicação e da transformação da realidade, na qual o conhecimento é produzido na mediação (eu-objeto-outro). Para Ostetto (2004), “A roda integra a todos – e gira! Não há ‘bagunça’ – porque existem tantos modos de ser e conhecer! Há o movimento, a curiosidade, a pergunta, a busca, a descoberta, a criação, de cada um e de todos”.

A experiência influenciou a prática docente de Daniele no maternal do EMEF Cidade do Rio Grande (Caic/FURG) “Observar o trabalho da Patrícia gerou várias reflexões em mim. A intenção era provocar essa mesma reflexão em quem fosse ler a dissertação, para que ocorram transformações na prática docente”, pontua No começo do ano letivo, Daniele pensa os primeiros projetos para trabalhar com as suas crianças, de forma a instigá-las e integrá-las como sujeitos ativos. “À moda Patrícia” define.

 

Pesquisa: Significados e sentidos da educação ambiental para as crianças da educação infantil
Pesquisadora: Daniele Barros Jardim
Orientação: Susana Inês Molon
Título: Mestrado
Instituição: Universidade Federal do Rio Grande (FURG)
Link: Significados e sentidos da educação ambiental

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN