Cinco fatos para considerar no planejamento de projetos de prototipagem

Compartilhe
, / 563 0
Colégio Stance Dual, em São Paulo: prototipagem de uma residência sustentável e uma estação meteorológica

Colégio Stance Dual, em São Paulo: prototipagem de uma residência sustentável e uma estação meteorológica | Divulgação

O objetivo da prototipagem é potencializar o aprendizado através da experimentação. O ato de errar é valorizado como parte do processo, o que estimula o estudante a superar suas dificuldades, já que sem chegar à formulação correta não é possível concretizar o projeto.

Grande parte desse desenvolvimento é feito nos Fab Labs  — laboratórios de fabricação digital, ou laboratórios de prototipagem. Esses ambientes possuem máquinas, como impressoras 3D, fresadoras, cortadoras a laser, cortadoras de vinil, além de computadores, softwares e outras ferramentas que permitem a experimentação rápida, tanto física como digital.

Veja abaixo cinco dicas de como aplicar a prototipagem em sala de aula:

O que fabricar

A fabricação de peças simples e bonitas em laboratórios de prototipagem, como chaveiros,  pode fazer com que os estudantes mais se sintam atraídos mais pela utilidade do produto do que se engajem no processo. Por isso, é importante que os professores elaborem uma proposta pedagógica mais complexa do que a “recompensa” final.  

Como lidar com o laboratório

Os educadores devem se preparar para lidar com o comportamento dos alunos nos FabLabs, ambientes que proporcionam forte envolvimento e novos níveis de excitação e frustração que não são normais na experiência escolar tradicional.

O poder da interdisciplinaridade

Os limites artificiais entre as disciplinas são reconfigurados nos laboratórios de prototipagem, e isso deve ser previsto pela equipe pedagógica para ser explorado em todo o seu potencial.

Ciência na prática

O aprendizado das disciplinas de Stem (Ciência, tecnologia, engenharias e matemática, na sigla em inglês, as disciplinas mais ligadas às ciências exatas) proporciona um ensino contextualizado e que permite a conexão a temas do mundo além dos muros da escola; ideias abstratas ganham significados mais concretos.

Bagagem do aluno

Intelectualização e reavaliação de práticas familiares em vez de substituição de práticas já existentes: os alunos levam suas experiências anteriores para o laboratório, e elas são ampliadas com a tecnologia e a matemática. A flexibilidade dos equipamentos no makerspace cria um ambiente que permite múltiplas formas de trabalho.

Fonte: “Digital fabrication and ‘making’ in education: The democratization of invention” (Fabricação digital e o ‘fazer’ na educação: A democratização da invenção, em tradução livre), de Paulo Blikstein

Veja também

Iniciativas internacionais permitem contato prático com conhecimento

Fabricação digital e didática se unem por meio da tecnologia

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN