As 5 “lições de casa” de um gestor escolar em tempos de crise

Dicas para as escolas particulares enfrentarem a turbulência econômica

Compartilhe
, / 990 0

Como empresas, escolas particulares também estão suscetíveis a variações na economia. Em um cenário de crise e inflação, em que os salários estão com menor poder de compra, a educação de qualidade nem sempre é prioridade para as famílias.

Para ajudar gestores a enfrentarem a turbulência, o Grande Encontro da Educação, realizado pela revista Educação, trouxe o consultor empresarial César Souza. Sua palestra tratou dos deveres de casa para o momento de crise e encerrou o evento nesta semana em São Paulo. Confira as dicas:

1 – Defina seu posicionamento
Qual a razão de existência da sua escola? Refletir sobre o sonho criador da instituição e pensar sobre seus valores ajuda a alinhar as estratégias no momento de aperto;

2 – Escolha bem seu público
Em geral, uma escola quer atrair alunos apenas pelo critério da localidade. César sugere que, além disso, as instituições definam melhor qual tipo de aluno desejam atrair;

3 – Defina um mapa de atitudes em todos os níveis
De que adianta os professores estarem alinhados com as expectativas da instituição e não os funcionários da recepção, por exemplo? Toda a escola deve estar a par das estratégias definidas para atrair ou reter alunos de acordo com seu posicionamento;

4 – Identificar competências para a escola ganhar o jogo
O que sua escola tem de especial? Isso não precisa ser uma impressora 3D ou um laboratório ultra-moderno. Fatores intangíveis, como valorização dos professores e proximidade com os alunos, devem ser exaltados;

5 – Foco nos resultados desejados
É importante saber o que a escola quer para 2016. Aumentar as matrículas, o faturamento ou a aprovação em vestibulares requer estratégias bem diferentes. Chegar a determinados resultados também pode custar mais caro para a escola, mas é importante entender quais os objetivos para mensurar o que vale a pena.

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN