Alimentos de alto valor nutricional representam apenas 10% do que é oferecido e consumido nas cantinas escolares

Frutas, sucos e outros alimentos saudáveis ainda estão pouco presentes nas cantinas da rede privada e na rotina dos estudantes, segundo pesquisa

Compartilhe
, / 716 0
cantinas

Foto: Shutterstock

Os projetos de alimentação saudável e combate à obesidade que pipocam aqui e ali ainda estão longe de ser suficientes para melhorar o padrão alimentar de estudantes brasileiros. É o que revela a pesquisa “Hábitos alimentares de crianças e adolescentes em cantinas de escolas privadas brasileiras em 2016”. O levantamento analisou mais de 1,2 milhão de compras feitas em cantinas de 97 escolas de 25 cidades de sete estados e do Distrito Federal.

Alimentos de baixo valor nutricional constituem cerca de 66% do que é consumido e também do que está disponível nas cantinas. Em geral, são doces, salgados e refrigerantes. Frutas e sucos naturais e outros alimentos considerados de alto valor nutricional constituem apenas 10% tanto da oferta como do consumo de alimentos.

O que, por hipótese, faz pensar que se houvesse oferta mais elevada de alimentos de maior valor nutricional, o consumo deles também deveria ser mais alto, ainda que, num primeiro momento, a razão entre oferta e consumo pudesse não ser similar à verificada.

A pesquisa foi realizada pelo Center for Behavioral Research (CBR), da Escola Brasileira de Administração Pública da Fundação Getulio Vargas (FGV Ebape), com apoio da Nutrebem. A íntegra da pesquisa está disponível no link: goo.gl/wMTfWf

Leia mais:

O que as escolas podem fazer para ajudar no combate à obesidade

 

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN