A oferta e a procura

Trabalho que será apresentado na 16ª edição do Congresso de Leitura mostra desvios das bibliotecas populares nos séculos 18 e 19

Compartilhe
, / 1019 0

Entrada da Biblioteca Mario de Andrade, em São Paulo

Investigar a formação do leitor brasileiro. Com esse objetivo, o historiador e professor da Faculdade de Educação da USP Nelson Schapochnik realizou a pes-quisa “Leitura para o povo: entre a instrução, a informação e o deleite. O caso das bibliotecas populares”, que será apresentada na 16ª edição do Congresso de Leitura do Brasil (Cole), que acontece em Campinas entre os dias 10 e 13 de julho. O trabalho coteja os acervos disponíveis em 300 bibliotecas populares dos séculos 18 e 19 com relatórios, ofícios e correspondências de presidentes de províncias. E constata que havia uma discrepância entre o que se oferecia e o que se procurava.

 “Muitas bibliotecas recebiam doações de livros de direito ou títulos em francês. O povo não queria ler isso. Eles queriam ler romances”, diz.  Para ele, o trabalho contribui com um tema pouco estudado no Brasil. “Ninguém tinha resolvido ir aos arquivos ainda para entender as políticas culturais de leitura e alfabetização de hoje. As pessoas têm uma noção muito vaga do que é o leitor brasileiro ao longo da história.”  

Com 1.557 trabalhos, o Cole deste ano teve número recorde de trabalhos apresentados, superando em 12% as cifras do ano anterior. Para Ezequiel Theodoro da Silva, presidente da Associação de Leitura do Brasil (ALB), entidade promotora do evento, o número reflete a força da pesquisa em leitura no país. “Duvido que outras instituições como a nossa ostentem um número assim. O dado mostra  quanta experiência temos nessa área”, diz ele, um dos fundadores do Cole, cuja primeira versão aconteceu em 1980.

Schapochnik também participa do “Caminhos do Romance nos séculos 18 e 19”, projeto temático interdisclipinar da Fapesp que investiga o gênero romanesco no Brasil, levando em conta suas práticas de leitura. O site do programa é
www.caminhosdoromance.iel.unicamp.br

.

Ao todo, 2.890 pessoas se inscreveram no Congresso, entre ouvintes e palestrantes. O Cole acontece no Centro de Convenções da Unicamp.

Informações:

www.alb.com.br/pag_cole.asp

.



Livros



Lourenço Filho e a Alfabetização.
Um estudo de Cartilha do Povo e da Cartilha Upa, Cavalinho!, de Estela
Natalina Mantovani Bertoletti.
(Editora Unesp, 132 págs., R$ 27)

Práticas de Alfabetização e Letramento, de Geraldo Peçanha de Almeida
(Cortez Editora, 128 págs., R$19)



AGENDA DA LEITURA



Batizado de “Leitura da arte, arte da leitura”,
evento congrega seminário e duas jornadas em Passo Fundo/RS:
12ª Jornada Nacional de Literatura
4ª Jornadinha Nacional de Literatura
6º Seminário Internacional de Pesquisa em Leitura e Patrimônio Cultural
Onde: Auditório da Biblioteca Central – Campus da UFP – Passo Fundo/RS
Quando: 27 a 31 de agosto das 8h30 às 11h30
Mais informações no site
http://www.jornadadeliteratura.upf.br/

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN