A escola do Saci

Localizada em um assentamento próximo a Araraquara, unidade oferece educação infantil e ensino fundamental com estrutura física e atendimento especializado

Compartilhe
, / 1022 0
Gustavo Morita
O professor Reginaldo Teixeira, um “pé vermelho”

 Depois de alguns quilômetros em estrada de terra, já no Assentamento Bela Vista do Chibarro, em Araraquara (SP), avistamos um belo casarão de paredes amarelas e azuis rodeado por árvores e ampla área livre. Mais ao fundo, alguns espaços anexos, pintados nas mesmas cores, abrigam salas independentes – inclusive a “toca do saci”, um lugar de brincadeiras e descanso, muito procurado pelos alunos pequenos na hora do recreio. A algazarra das crianças se misturava ao som dos passarinhos. Tínhamos chegado à Escola Municipal do Campo Prof. Hermínio Pagotto, e a carismática diretora Adriana Maria Morales Caravieri e a coordenadora pedagógica Camila Mazzeu vieram nos dar as boas-vindas.

Com 172 estudantes, sendo 119 matriculados no ensino fundamental (do 1º ao 9º ano) e 53 na Educação Infantil, a escola tem uma estrutura física impecável, que inclui biblioteca, laboratórios de ciências e de informática, cozinha experimental, viveiro de mudas e quadra, além de sala multimeios para a oferta do Atendimento Educacional Especializado (AEE). Tais conquistas são resultado do comprometimento do corpo docente – especialmente de Adriana, que está na direção da escola desde 1997 e desde o início abraçou o projeto da educação do campo –, do envolvimento da comunidade e do apoio tanto do poder público quanto dos movimentos sociais.

Como as demais escolas da rede pública de Araraquara, o estabelecimento usa o material didático do Sistema Sesi de Ensino desde 2011. “A gente procura trabalhar, dentro dos conteúdos, a realidade dos alunos – mas sem ficar apenas nela, e sim agregando conhecimento e acrescentando outras informações”, diz Camila. “Tento passar para os alunos o amor pela terra, algo que não tem valor comercial”, diz o pedagogo Reginaldo Anselmo Teixeira, professor da escola e morador do assentamento desde 1989, ele próprio um “pé vermelho” – como os estudantes do meio rural eram chamados no passado. “Vejo nossa escola do campo como espaço de resistência à expansão do agronegócio e a um sistema que vê a terra simplesmente como um meio de conseguir recursos financeiros. A escola tem o papel de ressignificar essa terra, mostrá-la como lugar de vida.”

Além da Prof. Hermínio Pagotto, o município de Araraquara tem outras duas escolas do campo: a Profa. Maria de Lourdes da Silva Prado, no assentamento Monte Alegre, e a Eugênio Trovatti, localizada no distrito de Bueno de Andrada. Todas oferecem educação infantil e ensino fundamental completo e atendem, no total, 425 alunos.

Comentários

comentários

PASSWORD RESET

LOG IN